Deve-se fazer trabalhos mediúnicos durante o carnaval?


A Quaresma para os católicos começa na quarta-feira de cinzas e termina na Páscoa com a ressureição de Cristo. E significa quarenta dias de recolhimento, penitências, jejum e oração. Os 4 dias que precedem a Quaresma é a festa da carne, o carnaval. Momento em que se libertam os “demônios interiores” pois vive-se intensamente. Os umbandistas seguem o calendário judaico-cristão, mas finalmente, o médium deve ou não trabalhar durante o carnaval e por que muitos templos não abrem durante este período?

O carnaval é a festa mais popular no Brasil. É fato que muitas pessoas vão para as ruas se divertir, entretanto, nem todos vão tão bem intencionadas assim, se entregam a todos os excessos e terminam fazendo coisas que depois se arrependem. Contudo, existem motivos mais práticos para os templos não funcionarem durante o período de Carnaval. E nós precisamos também desmistificar. Primeiro, diz respeito a segurança física do espaço. Como é um período longo de “feriado”, muitas pessoas viajam, as ruas ficam mais desertas, diminui o fluxo de pessoas e naturalmente os estabelecimentos ficam mais vulneráveis a oportunistas. E não seria diferente com os templos. Em segundo lugar, consequentemente haverá uma redução significativa de consulentes. Em terceiro lugar, diz respeito ao corpo mediúnico da casa. Quais são os médiuns realmente comprometidos com sua missão sacerdotal que estariam dispostos a não beber, não se entregar aos excessos e atender trabalhos de caridade espiritual durante a folia? Não podemos esquecer que médiuns são pessoas comuns como todas as outras e possuem desejos, fraquezas e direito de viver sua humanidade, seus limites corpóreos também. Não nos esqueçamos que ninguém vira santo porque trabalha como médium, muito pelo contrário. É justamente no trabalho caritativo que nos melhoramos como pessoas e nos esforçamos para elevar e aperfeiçoar nossa condição enquanto seres humanos.

Então, não acreditamos que haja problemas do ponto de vista dos Guias Espirituais não estarem “disponíveis” para trabalhar durante o carnaval. Não se trata disso. Apesar de muitas pessoas afirmarem que não trabalham mediunicamente durante o carnaval porque os Guias se afastam. Nem também porque como supostamente existem muitos “espíritos soltos” durante o carnaval, os templos receberiam a visita de quiumbas, ou espíritos zombeteiros, fazendo se passar por Guias. Lembremos sempre que a sintonia do médium é o que determina a frequência da incorporação e consequentemente a sintonia da casa que ele trabalha. Por isso, refletir sobre sua missão espiritual como sacerdote e sua responsabilidade como médium é um exercício diário, com ou sem a folia do carnaval.

Não devemos esquecer o que já mencionamos anteriormente em outras publicações:  NÃO HAVERÁ NENHUMA INCONVENIÊNCIA SE TRABALHARMOS NOS DIAS DE FOLIA DO CARNAVAL, E NÃO DEVEMOS PARAR NOSSOS TRABALHOS NO CHAMADO PERÍODO DA QUARESMA, porque isso não faz parte do nosso calendário litúrgico e nada justifica, nos dias de hoje (quando há liberdade de culto e respeito a religião umbandista) ficar 40 dias com nossos Templos fechados.

Ou seja, viva a sua humanidade sem culpa e mantenha a sua consciência alerta. A máxima do Mestre Jesus é sempre válida: “Vigiai e Orai” sempre, onde quer que esteja. E sendo médium tenha consciência da sua responsabilidade de sacerdote e vigiai e orai em dobro nestes períodos. Mas lembre-se, seus Guias Espirituais estarão sempre com você e sua frequência é que determinará quem irá te acompanhar. Que possamos ser sempre instrumentos fiéis do amor, paz e caridade de nosso Pai Oxalá.

Fiquem com meu sarava fraterno

Babalaô Ronaldo Linares

Presidente da Federação Umbandista do Grande ABC

Mantenedora do Santuário Nacional da Umbanda

 

 

Siga-nos nas redes sociais