30ª Festa de Iemanjá em Mongaguá


A MELHOR DE TODOS OS TEMPOS

Quem foi testemunhou e guardou na lembrança a melhor festa de Iemanjá de todos os tempos. O Sol generoso brilhou intensamente nos dias 6, 7 e 8 de dezembro na Praia de Mongaguá no litoral Paulista e a Mãe Iemanjá acolheu em seu “jardim sagrado” – a praia, centenas de umbandistas para louva-la em sua 30ª festa organizada pela Federação Umbandista do Grande ABC. A festa de 2019 foi uma saborosa combinação de organização primorosa da Federação, com a harmonia da natureza que contribuiu com brisas e sol na medida certa e a consciência e colaboração de centenas de umbandistas que, de forma harmônica e pacífica, se organizaram com seus filhos de fé e fizeram uma linda festa que ficará no coração de todos que estiveram por lá.

O capricho e carinho na decoração das tendas chamou a atenção dos frequentadores da praia, que mesmo não sendo da religião, apreciaram calmamente a coleção de verdadeiras obras de arte feitas na areia, homenageando os Orixás e Guias de cada Templo. A criatividade não teve limites e cada tenda esbanjou possibilidades. Utilizaram flores, gliter, espelhos, tecidos e até móveis de madeira na decoração, criando um local de acolhimento com muita beleza e fé.

O dia oficial do evento foi sábado dia 07, contudo, na sexta a noite tiveram tendas que decidiram antecipar suas homenagens e passaram a madrugada quase toda louvando a Rainha do Mar.

A Casa de Pai Benedito de Aruanda, templo sede da Federação Umbandista do Grande ABC foi uma delas. Tendo na direção Espiritual a Babá Dirce Palludette Fogo e sendo seu presidente fundador o Pai Ronaldo Linares, também presidente da Federação, a noite foi de muitas homenagens e emoções.

Com mais de 200 médiuns da Casa que puderam ir, a gira iniciou com a presença inesperada de Pai Benedito, padrinho espiritual dos trabalhos, que incorpora em Pai Ronaldo. Pai Benedito chegou logo na abertura da gira e quebrou o protocolo, pedindo para ir ao mar. Ficou presente por algumas horas dando benções e atenção aos presentes no evento.

Na sequência a Babá Dirce incorporou o Caboclo de Ogum e logo depois Sr. Tupinambá dando assim abertura a gira e trazendo os caboclos dos médiuns para terra. As homenagens duraram mais de 6 horas de trabalho, começando às 9h da noite e terminando quase às 4h da manhã. Quem acompanhou o evento pôde ver a chegada de caboclos, boiadeiros, marinheiros, baianos, erês, pretos-velhos e os Orixás Oxossi, Iansã, Ogum, Iemanjá, Oxum e Nanã todos invocados nesta noite.

Outras tendas também anteciparam a gira para sexta e fizeram uma linda festa no mar com champanhe branca e pétalas de rosas, ofertadas a Iemanjá. Há cada ano que passa, os umbandistas estão cada vez mais conscientes da questão ambiental e veem aos poucos substituindo gradativamente as oferendas entregues na praia, para materiais ecologicamente corretos. Temos abolido assim, os barquinhos de isopor e entregado somente pétalas, perfumes e champanhe (somente o líquido) descantando no local correto as embalagens.

No sábado a festa começou cedo. Algumas tendas iniciaram seus trabalhos no início da tarde. Mas, o auge da festa ocorreu por volta da meia noite, quando as estrelas iluminaram o céu de Mongaguá e a maioria das tendas estavam em atividades. As comemorações se estenderam até o raiar do dia.

Um dos aspectos mais belos de nossa Umbanda é a diversidade. E isso pode ser visto de forma clara pelos que tiveram a curiosidade de observar os detalhes de cada gira, que acontecia simultaneamente. Alguns templos utilizam indumentárias dos Orixás e roupas coloridas como no Candomblé. Outras vestem saias brancas e outras ainda apenas uma calça branca com camiseta do templo. Algumas primam pela simplicidade, outras primam pelo capricho mas todas, em sintonia com seus propósitos espirituais se colocam a disposição da humanidade para servir e agradecer a Deus. Cada uma de sua forma, mas todas alinhadas com a premissa de fazer o bem, princípio norteador da religião de Umbanda.

 

INFRAESTRUTURA DO EVENTO

Produzir um evento deste porte requer uma preparação que leva todo um ano mas somente se torna visível na praia uma semana antes da festa começar. São muitos aspectos que precisam ser resolvidos, desde aspectos jurídicos, como a licença de funcionamento das tendas junto a Prefeitura do município, as licenças de acesso de ônibus e vans, até a locação de todos os equipamentos para montagem das tendas (tratores, caminhões, lonas) e infraestrutura auxiliar como geradores, sanitários químicos, etc.

Reunião na Federação Umbandista do Grande ABC que aconteceu em setembro de 2019, para ajustar detalhes da organização do evento com os filiados FUGABC

Equipe de montagem executando a fixação das tendas dias antes do evento na praia

Trator fazendo trabalho de terraplanagem para nivelamento dos locais das tendas

Todo o sucesso do evento é resultado de um forte trabalho de equipe e muita organização. Dezenas de colaboradores e voluntários participam da empreitada que já virou tradição no litoral paulista. E os filiados da Federação Umbandista do Grande ABC dão consistência ao projeto. Qualquer templo pode participar do evento, mesmo os que não são filiados, entretanto, em sua maioria são os filiados da FUGABC que prestigiam o evento. E a dedicação incansável de toda a equipe que sempre nos enche de entusiasmo e orgulho. Parabéns a todos os envolvidos.

Todas as homenagens a Iemanjá são para nós uma forma de agradecer todo um ano de trabalho e renovar nossas energias, para começar um próximo ano com ainda mais fé, força e poder de realização. Que possamos manter por todo o ano de 2020 as vibrações da nossa grande mãe Iemanjá e acolhendo todas as dificuldades da vida, termos vitória em nossos desafios diários.

Parabéns umbandistas e Odoyá nossa Mãe Iemanjá!

 

Maria Aparecida Linares

Relações Institucionais e Comunicação

Santuário Nacional da Umbanda

Siga-nos nas redes sociais
error